Um filho rico de um rico pastor, escrevendo sobre sua vida dentro e fora da igreja; em uma sutil forma de poesia.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

"Pobre Homem

Certa vez uma cristã me perguntava,
Qual é a igreja eleita,
Que no Apocalipse será levada,
Ao lugar onde a glória foi feita;

Pois o Evangélio está diluído,
E misturado (disfarçado) com seu próprio demônio,
O reino de Deus na terra está destruído,
Fragmentado em centenas de fracos pedaços sem dono;

Aquela pobre jovem não tinha culpa por estar sem rumo,
Ela era apenas mais uma sem direção,
De milhares que rogaram aos céus um único culto,
Em meio a tantas placas de denominação;

Anunciam determinação de bençãos na televisão,
Pregam santidade como uma livre opção,
Até pessoas falando com seus parentes falecidos em nome de Jesus,
Falam da salvação sem mostrar a própria cruz!
 
Tentei dizer àquela moça para ter calma,
Dizendo que nós não somos perfeitos,
Mas ela cada vez mais se indignava,
Em como conseguimos errar de tantas formas e meios;

Ela fechava os olhos e pedia incessantemente,
Para que a misericórdia de Deus seja mesmo infinita,
Mas tenho certeza que no soar da trombeta muitos queimarão dolorosamente,
Para que apareça a verdade definitiva."

Nenhum comentário:

Postar um comentário