Um filho rico de um rico pastor, escrevendo sobre sua vida dentro e fora da igreja; em uma sutil forma de poesia.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

"Dupla Personalidade

Este é meu (começo) fim,
(Não quero) Tentei justificar meus meios,
Todo esforço (dele) meu,
Foi para evitar (o que eu desejo) este desfecho;

(Eu quero) Não queria mostrá-los,
(E a verdade) Mas agora conhecerão ,
E sem demora vou (tirá-lo de cena) chamá-lo,
Para ver como as coisas (ficam sem problemas) acontecerão;

Onde (ele) eu era fraco, (eu sou) ele é temível,
Onde (ele) eu era forte, (eu sou) ele é invencível,
E quando (ele) eu amava, (eu sempre gritava) ele sempre soprava,
Que no final era (ele) eu quem chorava;

(Ele me) Eu o ignorava, mas (desistiu) desisti,
(Desistiu de si) Desisti de mim, (porque o fizeram) fizeram-me cair,
E todas as vezes (eu o) ele me dizia para sair:
( _ )'Finalmente, posso agir ( _ )'?

(Imponente) Desesperado, (preparado) machucado,
Olhei para ele, (desesperado) imponente e (machucado) preparado,
Então (o) me recolhi de bom grado,
Para que (eu possa fazer) ele faça o inesperado;

Então aqui (ele os disse) digo adeus por tempo indefinido,
Em minha consciência (ele está) estarei refugiado e escondido,
E para aqueles que por todo este tempo (o tem) tem me ferido,
Só tenho a dizer, que (eu agora) não mais me responsabilizo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário