Um filho rico de um rico pastor, escrevendo sobre sua vida dentro e fora da igreja; em uma sutil forma de poesia.

terça-feira, 14 de junho de 2011

"Reforma

Desviei-me do meu real projeto,
O tempo sutilmente roeu minhas vigas de sustentação,
Foram embora os operários, engenheiros e arquitetos,
E assim foi interrompida a construção;

De algo diferente,
Sem as antigas rupturas,
E o resultado é inerente,
À nova estrutura;

Mas agora é a hora,
De terminar o que se começou,
Sem descanso ou demora,
Será colocado cada tijolo que faltou;

E após tudo definido,
Junto à comparação com o projeto,
Não implicará no retorno do tempo perdido,
Mas em uma obra feita do jeito certo;

Porque o pior de se começar a construir,
É ver aquilo que mal levantou se desmoronar,
Pela preguiça e a incapacidade de recomeçar,
Tendo um projeto brilhante para concluir;

Mas no fim, fui competente,
Apesar do longo tempo parado,
Organizei os empregados,
E a obra voltou ao seu horário;

E a reforma acabará completamente,
Contemplarei a minha arte erguida e imponente,
Marcada por atrasos e tropeços,
Mas nada foi suficente para evitar um novo começo."